Para Refletir

A propriedade privada tornou-nos tão estúpidos e limitados que um objeto só é nosso quando o possuímos. - Karl Marx

Inicial Pesquisas
Pesquisas

Aqui estão disponibilizadas algumas informações sobre os trabalhos que vem sendo realizadas no âmbito do Grupo de Pesquisa História e Poder. Trata-se das pesquisas de mestrado em andamento. 

Além disso, também disponibilizamos trabalhos de pesquisa já executados por membros do grupo, tais como dissertações de mestrado e teses de doutorado. 

 

 Pesquisas em andamento                                                                  
 
 
 
⇒ Teses e Dissertações:
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pesquisas em andamento Linha de Pesquisa Estado e Poder

PPGH/UNIOESTE:

 

Nome Título da Pesquisa Orientação
     

Alexandre Arienti Ramos

A elaboração de um projeto para o complexo industrial militar brasileiro 2003-2012

 

kissResumo: Nos propomos investigar o processo de elaboração de um projeto para as políticas estratégicas de defesa ao longo dos governos PT, de 2003-2012, com especial enfoque ao papel ocupado pelo complexo industrial militar brasileiro neste projeto. A análise do projeto será contraposta ao exercício efetivo das políticas de defesa ao longo do período na tentativa de compreender o incremento da atividade empresarial no setor. Pretendemos entender tanto a elaboração quanto o exercício destas políticas, não como a atuação de um Estado separado do conjunto da sociedade, sim como medidas tomadas em função do conjunto de relações de força estabelecido entre os agentes e grupos em disputa na sociedade e, assim, também no Estado.

Topo

Prof. Dr. Gilberto Grassi Calil
Ederson Fernado Milan dos Santos
Fronteira, democracia e capitalismo: Estados Unidos e Brasil, séculos XIX e XX
 

kissResumo:  O cerne do trabalho é analisar a relação do movimento da fronteira no desenvolvimento da democracia e do capitalismo, nos Estados Unidos no final do século XIX e no Brasil, em meados do século XX, buscando uma perspectiva comparativa da história desses dois paises. Para isso, busco autores que estudaram o assunto e a partir da análise de suas obras, pretendo pesquisar o processo de expansão da fronteira, nos Estados Unidos e no Brasil, observando como esses intelectuais construíram e trabalharam os conceitos de fronteira, democracia e capitalismo dentro dos contextos a que se referem suas obras.

O objeto é estudar o modo como foram construídas algumas interpretações sobre o desenvolvimento da democracia e do capitalismo, tomando como ponto de partida a fronteira agrária. A análise será pautada no pressuposto da existência de uma fronteira agrária, que influi diretamente na constituição de regimes políticos, democráticos, ou do próprio capitalismo.

Um dos objetivos é tratar sobre a relação entre a fronteira e a democracia, como as interpretações construídas sobre a fronteira influenciaram o desenvolvimento da ideia de democracia, nos paises com abundância de terras livres, como foi o caso do Brasil e dos Estados Unidos. Outro ponto é a relação entre as interpretações sobre o desenvolvimento do capitalismo do ponto de vista da fronteira, como que a fronteira engendra as relações de trabalho e como o sistema capitalista se desenvolveu nos Estados Unidos e no Brasil, a partir das terras livres e das relações de produção. Pretendo também analisar aqui a relação entre a democracia e o capitalismo, sendo que o diferencial do objeto é pensar interpretações sobre a democracia e o capitalismo a partir das interpretações sobre a fronteira agrária. 

Topo

Prof. Dr. Marcio Antônio Both da Silva

Guilherme Ignácio Franco Andrade

Os partidos de extrema direita na Europa: a Frente Nacional Francesa de Jean Marie Le Pen(2002) a Marine Le Pen (2012)
 
 
kissResumo: O projeto tem a intenção de analisar, investigar e problematizar o crescimento dos movimentos de extrema direita na Europa e a radicalização do pensamento político, em particular o partido francês Frente Nacional. O recorte da pesquisa é desde o processo que envolve o período da eleição de 2002, até os acontecimentos recentes, as eleições para presidência da França em 2012. Pretende-se investigar as mudanças ideológicas do partido nesses últimos 10 anos, visando compreender sua “renovação” política. A Frente Nacional, antes de sua criação, atuava secretamente nos bastidores do governo francês, fazendo oposição aos governos liberais e socialistas.

A extrema direita na Europa tem duas fases. A primeira fase que vai de 1945 ao ano 1980 e a segunda que corresponde da década de 80 até os dias de hoje. Na primeira fase a ideologia da extrema direita europeia, embora na academia aja um debate contínuo sobre o que significa exatamente ser um partido de extrema direita, existe um consenso sobre alguns aspectos que compõem a sua base ideológica como o nacionalismo, a xenofobia e seu posicionamento contrário a imigração. A segunda fase tem inicio na década de 80. O islamismo se torna alvo dos partidos como “o novo inimigo” no imaginário da extrema direita, particularmente a Frente Nacional. No mundo acadêmico, durante algum tempo, a islamofobia não era vista como uma característica básica da ideologia da extrema direita. Mas a tendência acadêmica era a de considerar a rejeição do Islã apenas como uma dimensão de “xenofobia” e de ver as narrativas “antimuçulmanas” simplesmente como um componente do discurso contra a imigração

 Topo

Prof. Dr. Gilberto Grassi Calil

Jeu Daitch de Castilho

A concepção do peronismo no pensamento de Sílvio Frondizi e Mílciades Peña

 

kissResumo: A presente pesquisa tem como objetivo discutir a concepção do peronismo no pensamento de dois militantes argentinos: Sílvio Frondizi e Mílciades Peña. Trata-se do estudo do primeiro ciclo do governo de Juan Domingo Perón na perspectiva dos militantes abrangendo, portanto, a Argentina nos anos 1943-1955. Como fontes serão usadas as principais obras de S.Frondizi e M. Peña em que abordam o peronismo, além de jornais e documentos editados pelos militantes. Livros, revistas, jornais e artigos que surgiram como resposta das esquerdas aos autores em questão ou como parte do debate travado em torno do peronismo serão importantes para a pesquisa. Assim, o trabalho abarca em primeiro lugar uma tentativa de caracterização daposição das esquerdas tradicionais do país em relação ao peronismo, ao mesmo tempo em que procura-se problematizar a trajetória política de ambos pensadores marxistas intentando analisar as inovações teóricas propostas por eles para a esquerda do país. Do ponto de vista teórico eles são pensados, nos termos gramscinianos, enquanto intelectuais orgânicos, vinculados, portanto, à classe trabalhadora argentina tentando desenvolver um projeto político que desse conta de implantar no país um novo sistema.

Topo

Prof. Dr. Gilberto Grassi Calil
Kleyne Paula Castro Lance

Empresários e trabalhadores no Movimento pela Conciliação: uma análise histórica

 

kissResumo: Nesta pesquisa partimos do pressuposto de compreender o Poder Judiciário como um espaço marcado por lutas, conflitos e disputas, enfim, como uma relação social. Neste sentido, o objeto de estudo que corresponde a esta pesquisa é o “Movimento pela Conciliação” desenvolvido pelo Conselho Nacional de Justiça. Neste sentido, vemos históricamente presente a “conciliação” inerente ao campo jurídico, - mais especificamente tendo como recorte à sua aplicação na Justiça do Trabalho -, procuraremos problematizá-la, sendo este, o fio norteador no desenvolver desta investigação. Buscando, ainda, compreender os motivos de classe que envolveram a estruturação do Projeto em sua forma sue generis. Se este projeto corresponde a um processo histórico de longa duração – desde a implementação das primeiras Comissões Mistas de Conciliação -, ou ainda, se corresponde à uma demanda atual, inerente a uma reconfiguração econômica, dentre outros fatores. Atualmente a pesquisa se encontra em processo de desenvolvimento.

Topo

Prof. Dr. Marcio Antônio Both da Silva

Juliana Valentini

Organização política do Patronato Rural do Paraná: Sociedade Rural do Paraná

 

kissResumo: A Sociedade Rural do Paraná – SRP desempenhou um papel importante como arregimentadora de projetos da classe patronal e teve e ainda tem grande influência política na região e no estado do Paraná. Manteve diálogos com entidades patronais de todo o território nacional.A opção por investigar as formas de organização de uma fração de classe dominante resulta da percepção da importância das discussões que visam problematizar a atuação dos partidos, movimentos e agremiações de direita. Como se organizam as classes dominantes, quais as suas estratégias para manter sua condição enquanto classe hegemônica. Esta pesquisa tem por objetivo realizar um estudo do patronato rural e suas formas organizativas na região região Norte do Paraná entre os anos de 1946 à 1990. A sua formação, formas de ação e de organização da classe dominante patronal rural. Investigandocomo os grandes proprietários rurais construíram e constroem práticas e discursos para legitimar sua condição de proprietários de terra, bem como a inserção de representantes da SRP junto as agencias do estado. No âmbito teórico, para analisar a Sociedade Rural do Paraná, nosso objeto de pesquisa, e poder compreender como parte da fração de classe patronal rural arregimenta apoio em torno dessa entidade, sua capacidade organizativa no fomento do “agronegócio” e sua imbricação com o Estado (Sociedade Política) e Sociedade civil. Recorrer-se-à a um conjunto de reflexões sobre as formas de organização da sociedade capitalista produzidas pelo marxista italiano Antonio Gramsci. Bem como as discussões do sociólogo Pierre Felix Bourdieu, sobre a teoria do “Espaço Social”. São, pois, essas reflexões que irão amparar e instrumentalizar a análise do objeto dessa pesquisa.  

Topo

Prof. Dr. Paulo José Koling

Thomaz Joezer Herler

 A formação do MR-8 (DI-RJ) e sua atuação na região Oeste do Paraná (1964-1969)

 

kissResumo: Neste projeto de pesquisa, pretende-se analisar a partir da categoria “partido”, desenvolvida por Antonio Gramsci, a formação do Movimento Revolucionário 8 de Outubro (MR-8), inicialmente chamado Dissidência do Rio de Janeiro (DI-RJ). Esta dissidência originou-se em 1964 no interior do PCB, rachando com o mesmo em 1966, optando pela ação armada em contraposição às concepções pecebistas, principalmente de “estratégia” e “revolução”. De igual forma, este grupo guerrilheiro propunha constituir uma “representação de novo tipo” da classe proletária, de modo a suprir a crise de representatividade da classe trabalhadora ocorrida após 1964, com o Golpe Civil-Militar que esfacelou o projeto político do PCB, então hegemônico, e dos nacionalistas de esquerda (principalmente PTB). Deste modo, o MR-8 (DI-RJ) visava desenvolver uma alternativa de luta revolucionária para a implantação de um Estado Socialista no Brasil, inspirada principalmente na Revolução Cubana e na teoria do foco guerrilheiro a partir das concepções de Ernesto Guevara e Regis Debray, bem como na revisão desenvolvida por Caio Prado Jr aos paradigmas pecebistas na obra “A Revolução Brasileira. Além disso, pretende-se, nesta proposta de pesquisa, compreender a atuação do seu foco guerrilheiro, implantado na região do oeste paranaense em 1968 e desbaratado pela polícia em 1969, levando em consideração que esta organização era estreitamente ligada ao “foquismo”, dando ênfase à necessidade de implantação de guerrilhas no campo.

Topo

Profª. Drª. Carla Luciana  Silva
     

 

 

Teses e Dissertações

 

Nome

Título

Arquvio

Gilberto Grassi Calil

O Integralismo no processo Político Brasileiro - o PRP entre 1945 e 1965: cães de guarda da ordem burguesa. Niterói: Programa de Pós-Gradução em História Universidade Federal Fluminense, 2005. (Tese de Doutorado).

 

kissResumo: Esta tese tem como objeto a intervenção do integralismo no processo político brasileiro entre 1945 e 1965, período que corresponde à trajetória do Partido de Representação Popular, formado pelos integralistas no contexto da crise do Estado Novo e extinto junto aos demais partidos pelo Ato Institucional número 2. Sustenta que o integralismo não era um  elemento exótico no processo político brasileiro, mas um componente importante da dominação burguesa, extremando posições  excludentes e repressivas  defendidas também por outros movimentos políticos e agentes sociais. A hipótese geral é que o PRP desempenhou um papel importante na dominação burguesa no Brasil entre 1945 e 1965, o que se verifica em sua intervenção política no conjunto do período, tendo como elementos centrais sua relação permanente com o conjunto de organizações políticas, visando a estabilização política e a preservação do status quo econômico e social; sua ação permanente visando a afirmação de uma concepção excludente e restrita de democracia; e a disseminação teórica e prática do anticomunismo e enfrentamento aos setores populares. Em resposta ao novo contexto político, o integralismo reformulou sua estratégia, abandonando a perspectiva de assalto ao poder a curto prazo  – que caracterizou o movimento entre 1932 e 1937, adaptando sua intervenção às condições estabelecidas pela ordem institucional vigente a partir de 1945. Um aspecto relevante desta intervenção é sua perspectiva de promoção de uma ampla  Contra-Reforma Intelectual e Moral marcada por uma concepção cristã ultraconservadora e por uma visão hierárquica de sociedade, pautada pela ordem e  pela obediência. Para  isto, os integralistas contaram com diversos instrumentos além do PRP, dentre os quais uma editora, uma imprensa doutrinária, programas radiofônicos e organizações voltadas aos trabalhadores e à juventude. Seu papel específico para a dominação burguesa se deu pela mobilização ativa de importantes parcelas da pequena burguesia. A avaliação da trajetória integralista entre 1945 e 1965 levará em conta os seguintes aspectos: a reorientação doutrinária conduzida por Salgado para apresentar o integralismo como “democrático”; o processo de formação do PRP; sua composição social; seu financiamento; a estrutura interna e a hierarquia do PRP; as diferentes fases da trajetória do integralismo em sua relação com os demais movimentos e partidos políticos; sua intervenção no parlamento; sua participação em governos estaduais e no governo federal;  a constituição de organizações integralistas extrapartidárias, com destaque para os centros culturais da juventude; sua atuação no interior da conspiração golpista que instaurou a ditadura; e os elementos centrais de seu projeto político, com destaque para a concepção excludente de democracia e a afirmação teórica e prática do anticomunismo, caracterizando-se como “cão de guarda” da ordem vigente.

Topo

Marcio Antônio Both daa Silva

Por uma lógica camponesa: caboclos e imigrantes na formação do agro do planalto rio-grandense (1850-1900). Porto Alegre: Programa de Pós-Gradução em História Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2004. (Dissertação de Mestrado).

 

kissResumo: O trabalho trata de analisar o modo como aconteceu, no processo de ocupação e povoamento do espaço na região do planalto do Rio Grande do Sul durante a segunda metade do século XIX, o encontro entre imigrantes europeus e lavradores nacionais, principais agentes envolvidos no processo de povoamento. Para realizar a pesquisa foram utilizados pressupostos teóricos relacionados as questões ligadas à etnicidade, ao campesinato e aos estudos de história agrária. O objetivo foi entender o encontro entre caboclos e imigrantes, no sentido de especificar aspectos gerais vinculados ao modo de vida de cada grupo, assim como as alterações provocadas nos mesmos a partir do encontro e da inserção do Rio Grande do Sul no processo de expansão do capitalismo.

Topo